Postagens

Voo Livre

Imagem
Gratidão a todas as autoras que aceitaram conversar comigo, concedendo-me belíssimas e preciosas entrevistas.  A Revista Voo Livre não seria a mesma sem vocês, minhas queridas escritoras.  Que a #Sororidade nos faça cada vez mais humanas!  Gratidão, Marina, pelo convite. E por confiar em meu trabalho.  Viva a Literatura Feminina! https://www.facebook.com/562025207217181/posts/4130921760327490/

Feliz Aniversário

Imagem
  Com o encanto dos anjos E a força do sonhador, Acaricie mensagens lindas De paz e amor. Durma acordada Trabalhe e enriqueça Mas, as etapas vividas, Jamais esqueça! Tenha nos planos, A mais sublime esperança E já sendo mulher, Respire feito uma criança. Conheça os caminhos mais puros O sucesso de outra dimensão Cante para a lua Mensagens do coração. Aprecie o perfume do mar azul Entregue ao sol, A resposta de um amanhã jamais solitário E tenha um Feliz Aniversário!  Aldirene Máximo

Entrevista Vanessa Alves

Imagem
  1- Como iniciou seu amor pelas letras?  As letras sempre me encantaram. Desde a infância, quando eu ouvia as histórias contadas pelos mais velhos, quando brincava de escolinha com outras crianças, quandobrincava de folhear e recortar revistas e jornais, ou quando insistia em saber o que estava escrito nas roupas que eu vestia eram indícios de que eu já era uma apaixonada pelas palavras. Quando aprendi a ler, passei por aquela fase de deslumbramento, de quem percebe que  pode ter acesso a  tudo o que está ao alcance dos seus olhos, mesmo não tendo plena consciência do que significava a maioria das coisas que lia. Decidi, então, ainda criança, que seria professora e trilhei os caminhos que me conduziram à profissão e ao constante aperfeiçoamento da mesma. 2- Quais dicas você daria aos pais para que as crianças se interessem por literatura? Acredito que os pais, por serem a primeira e maior referência para seus filhos, detêm grande responsabilidade como incentivadores de suas crianças,

Entrevista Danielli Cavalcanti

Imagem
  1- Como iniciou seu amor pelas letras? Na quarta série primária (sou desse tempo), a professora me pediu para recitar o poema Mãezinha querida, de Paulo Roberto, na celebração do Dia das Mães. Ela disse que eu teria que treinar em casa, mas eu iria me sair bem, porque eu gostava de ler. Como é importante ter alguém que acredite em nós, antes mesmo de nós mesmas.  Nesse ano, eu morei na casa da minha avó, lá havia uma coleção de livros da literatura brasileira, eu li uma carreira de livros da estante (A moreninha, A mão e a luva, Senhora, Helena, Memórias póstumas de Brás Cuba etc) e lia jornal, revista, tudo que estava disponível na sala.  Como é importante facilitar o acesso à leitura. Ainda nessa época, havia também um programa de TV, onde um político paraibano participou de alguns episódios recitando poemas de Augusto dos Anjos, eu adora ouvir aqueles poemas “estranhos”. Minha mãe me presenteou com papeis de cartas. Naquele ano, escrevi cartas para ela. Ainda hoje, gosto muito de

Entrevista Carol Gaertner

Imagem
  1- Como iniciou seu amor pelas letras? Desde criança eu amava ir às bibliotecas e às livrarias com meus pais. Lembro das minhas visitas, em especial, às Livrarias Ghignone, daqui de Curitiba do Shopping Mueller (que já fecharam as portas há tempos por sinal) e recordo, também, da roda de contações de histórias na Casa de Leitura do Bosque Alemão. Eram visitas mágicas, eu realmente sentia que acessava um outro Universo: o dos encantos com certeza. Na escola, também fui muito incentivada a escrever, a professora da quarta série do ensino fundamental, minha querida Ana Eliza Vaz (eterna "prof Ana"), realizava práticas bem lúdicas envolvendo literatura. Cada aluno tinha um "passaporte" que ela chamava "Passaporte da Leitura", nele registrávamos uma espécie de resenha de todos os livros que líamos durante o ano letivo e apresentávamos à turma (um dos livros que li na época: "O Pequeno Vampiro", de Angela Sommer-Bodenburg). Também havia o "Varal

Caos, Cais, Canções & Outros Causos

Imagem
Carol Gaertner é multipersona. Poeta, escritora, compositora e cantora. Seus lindos versos, escritos com o coração e com a alma, refletem a força da Menina-Mulher / Mulher-Menina em PELED'ALMA. Ao conceber cada verso aqui escrito, Carol mergulhou profundamente nos mares da emoção. Ver / Viver e Sentir reverberam dando voz ao Caos e ao Cais. Poemas, contos e micro contos que se entrelaçam: lembranças de uma infância onde a Carol, tímida queria visitar a Lua. E hoje, adulta, através de seu amor pelas artes, viaja pelo Universo das Letras / Palavras / Canções. Romântica / Sonhadora / Escrevivente em suas histórias de Amizade e de Amor. Eterniza aqui, quatro Grandes Amores: seu Pai, sua Amiga Stézinha (in memorian), sua Amiga Sheila e o muso inspirador: "Felipe".  Reflexões que nos mostram quão profunda é a nossa existência e quão profundo é o Amor:  "Caos, Cais, Canções & Outros Causos".  Mergulhe você também! Aldirene Máximo

Abraços

Imagem
  Quão gostoso é Receber abraços Refazer os laços Desamarrados pelo Vento. Maravilhoso é abraçar: A criança, a amiga, O gato de estimação, O namorado e também o irmão. Abraçar: muito mais que um verbo, O remédio que cura as dores da Alma! Abrace-se!